quinta-feira, 1 de junho de 2017

Chicote Nunca Mais


Tamanho não é sinônimo de resistência


No cavalo, as dores e sofrimentos são banalizadas pelo fato de ser um animal de grande porte. Mas tamanho não é sinônimo de resistência. Cavalos são chicoteados nas ruas, nos hipódromos, nas domas, nos esportes e essas perversidade é aceita e até esperada. Há um inconsciente coletivo de que cavalo não sente dor.

Ninguém contesta! Ninguém defende!

Cavalos são animais muito sensíveis: se uma mosca pousar em qualquer parte do seu corpo, ele treme a musculatura para espantá-la.

Ele obedece a seu sórdido condutor e segue em frente até cair extenuado ou morrer. Estranhamente, nesse momento, surge sempre uma força tarefa para recolocá-lo novamente em pé e prosseguir na cruel jornada.

O Poder Executivo, que se beneficia com o trabalho gratuito destes animais no recolhimento de materiais recicláveis, é o mesmo que tem a atribuição de protegê-los. Nessa atividade – paga pelo contribuinte no imposto do lixo ‒, os animais perdem a saúde com longas jornadas diárias, carregando cargas acima de sua capacidade, com o nariz junto dos escapes dos carros, consequentemente aspirando dióxido de carbono, etc. Os cavalos não recebem absolutamente nada, na maioria das vezes nem alimentação. Quando caem por doença e exaustão, ficam ali jogados como se não tivessem auxiliado os gestores públicos. Afinal, não fará diferença. No outro dia terá outro cavalo fazendo o mesmo trabalho gratuitamente. 

Fonte: Chicote Nunca Mais*


*ONG Chicote Nunca Mais luta pela libertação dos cavalos de carroça em Porto Alegre (RS).

A Chicote Nunca Mais atua dede 2008 no resgate e acolhimento de cavalos de carroça explorados em Porto Alegre e região metropolitana do Rio Grande do Sul.

Atualmente, a ONG abriga 35 cavalos. O custo mensal atinge a casa dos 14 mil reais – incluídos, neste, a alimentação, hospedagem e atendimentos veterinários. Neste mês, a ONG atingiu somente uma parte do valor necessário para o sustento. As despesas na Chicote Nunca Mais provém principalmente de doações.

Um comentário:

  1. É revoltante os maus-tratos com os animais.Muito bom divulgar a ONG

    ResponderExcluir