quinta-feira, 15 de junho de 2017

A última viagem de bonde em Porto Alegre



Dia oito de março é uma data importante na Cia. Carris. Um dos motivos é a comemoração do Dia Internacional da Mulher que é sempre lembrado na empresa com a realização de homenagens às colegas trabalhadoras. Outro motivo é a lembrança de que foi num dia oito de março a última vez que os bondes elétricos circularam pelas ruas de nossa cidade.

Há quarenta sete anos, no dia oito de março de 1970, ocorreu a última viagem de bonde elétrico da Cia. Carris. Consultando o livro: “Memória Carris: Crônicas de uma História Partilhada com Porto Alegre”, temos a seguinte descrição do ocorrido:

“(...) O bonde circulou pela última vez em Porto Alegre, depois de 98 anos de serviço prestado à comunidade, em 8 de março de 1970. O dia foi um misto de luto, saudosismo e euforia. Trajando suas melhores roupas, pais, filhos, curiosos, ricos, pobres e pessoas das cidades vizinhas se acotovelavam na frente da sede da Carris, na Avenida João Pessoa, e nas paradas esperando a última viagem de bonde. Houve solenidade de despedida, à qual compareceram o Prefeito, o secretariado, autoridades civis, militares e eclesiásticas. O Sindicato dos Metroviários hasteou a bandeira do pavilhão a meio-pau, em sinal de luto. Circularam pela cidade, neste triste dia, as linhas G ‒ Gasômetro, T ‒ Teresópolis, e P ‒ Partenon. Toda a população pode usufruir do serviço dos elétricos gratuitamente. Às 20h30min, o último elétrico foi recolhido ao depósito de bondes. Alguns motorneiros e tripulação choravam solitários na frente da sede da Carris (...)”*.

A partir do texto, podemos constatar que este foi um dia de muita emoção. Um misto de entusiasmo com o futuro e saudades e apego pelo passado que se despedia. Quando saímos com o nosso ônibus memória, muitas pessoas nos perguntam o porquê do fim da circulação dos bondes. Depois da leitura de vários textos e da conversas com pessoas que viveram aquela época, constatamos que a união de vários motivos diferentes justificaram a substituição total do sistema de bondes pelo uso de ônibus. Interesses econômicos e a própria visão da população da época, que associava os bondes ao passado e o transporte rodoviário ao futuro, influenciaram nessa decisão. A verdade, entretanto, é que os bondes elétricos continuam muito presentes na lembrança dos porto-alegrenses mais antigos.

*SILVA, Cinara Santos da/ MACHADO, João Timotheo Esmerio, “Memória Carris: Crônicas de uma História Compartilhada com Porto Alegre”. Porto Alegre, Prefeitura Municipal, 1999. Pags; 75-76.

Fotos dos últimos bondes a circular em Porto Alegre


Última viagem do bonde da linha Partenon.


Última viagem de bonde da linha Gasômetro. Na porta, 
o jornalista Archimedes Fortini. 


No centro da foto, de camisa branca sem mangas, 
Telmo Thompson Flores, o prefeito que acabou com os bondes.


Bonde ornado com flores para a última emocionante viagem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário