segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Tia Ciata



No registro de nascimento era uma, Hilária Batista de Almeida. No samba, era três: Tia Ciata, Tia Asseata ou ainda Tia Assiata. Nascida em Salvador (BA), em 1854, Tia Ciata foi responsável por consolidar o samba no Brasil. Na época, as rodas de samba - e as seções de candomblé - só podiam ocorrer com aval e vigia da polícia. Aos 22 anos, firmou-se em terras cariocas e fez de sua moradia a "casa dos sambistas" e berço da primeira filha do gênero musical: a canção "Pelo Telefone", de Donga e Mauro de Almeida, gravada em 1916.

*****

Cozinheira. Mãe de santo. Animadora cultural. Dona da casa onde se reuniam sambistas e onde foi criado o primeiro samba gravado em disco, "Pelo Telefone", assinado por Donga e Mauro de Almeida. Há controvérsias sobre a data de nascimento de Tia Ciata. Alguns pesquisadores afirmam que a data correta é: 23/4/1854. Tia Ciata (seu nome é encontrado também grafado como Siata, Aciata, Assiata ou Asseata) chegou ao Rio de Janeiro em 1876, aos 22 anos, indo residir inicialmente na Rua General Câmara. Em seguida, residiu na Rua da Alfândega e depois na Rua Visconde de Itaúna (próxima à Praça Onze). Tia Ciata tirava seu sustento da cozinha típica baiana. Ela vendia quitutes em seu tabuleiro entre as ruas Uruguaiana e Sete de Setembro, e também no Largo da Carioca. Logo se destacou entre as baianas festeiras introdutoras da dança do sombra no Rio de Janeiro, e passou a promover sessões de samba em sua casa, na qualidade de Batalaô-omin. Realizava igualmente rituais de culto aos seus orixás africanos. Cada vez mais popular, Tia Ciata recebia em sua casa um grande número de políticos, boêmios, músicos e batuqueiros que lá iam saborear seus pratos típicos, principalmente sua moqueca. Foi numa destas reuniões que nasceu o samba "Pelo telefone", de Donga e Mauro de Almeida.

(Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira)

As Reuniões na Casa da Tia Ciata

Nascida na Bahia, Hilária Batista de Almeida ou Tia Ciata, emigrou com outras "tias" baianas para o Rio, que era a capital do país na época e o lugar onde as manifestações culturais eram mais intensas e os meios de sobrevivência, mais favoráveis. Entre as tias baianas que emigraram com tia Ciata, destacam-se tia Amélia (mãe de Donga), tia Presciliana de Santo Amaro (mãe de João da Baiana), tia Veridiana (mãe de Chico da Baiana). Tia Ciata, a mais famosa de todas, logo se instalou num sobrado da rua Visconde de Itaúna, nº 117, em frente ao Colégio Pedro II, onde fundou uma casa comercial para vender quitutes baianos e cultivar o jogo. Cedo tia Ciata reuniu uma freguesia de malandros, que faziam música, inspirados naquele ritmo que ela havia trazido à cidade grande. Entre esses malandros, estaria a nata de compositores de samba do início do século, a exemplo de Donga, Sinhô (o Rei do Samba), Pixinguinha, Hilário Jovino Ferreira, João da Baiana, China (irmão de Pixinguinha), Heitor dos Prazeres e tantos outros. Foi através dessas reuniões, onde a música e o jogo se misturavam, que foi criado o primeiro samba de autor identificado: O "Pelo Telefone".

(Luiz Américo - A História da MPB)



Nenhum comentário:

Postar um comentário