segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Bossa Nova para principiantes


Texto de Edson Aran


Se você acha que amar é tolice, bobagem e ilusão, é bossa nova.

Se amar foi sua ruína, é samba-canção.

Se a ingrata deu pro Assum Preto, pro Pintassilgo e pro Ditão, é música sertaneja.

Se você acordou de manhã se sentindo miserável, não é bossa nova, é blues.

Se a última fileira do teatro consegue te escutar, não é bossa nova.

Se a primeira também não escuta, é show do Philip Glass.

Se você vai à praia de tardinha para ver o barquinho, é bossa nova.

Se você só viu barcão, solzão, canção ou outra coisa terminada em “ão”, é samba-enredo.

Menos improvisação. Aí é jazz.

Música com maçã, Iansã e febre terçã, é coisa do Djavan.

Mas, se tiver pau, pedra e um resto de toco, é o fim do caminho.

Se você fica deprimido quando pensa no amor, é bossa nova.

Se você pensa no amor e fica deprimido, é impotência.

Se você é cantora e mostra o joelho, é bossa nova. Se mostra a bunda, é axé music.

Se mostra que só sabe gemer com voz fina e estridente, é a Sandy. Ou o Junior. Uma das duas.

Se as mulheres jogam calcinhas no palco quando você canta, definitivamente não é bossa nova.

Se você é homem e tira a calcinha no palco, é Tropicalismo.

Se você é mulher e entra no palco sem calcinha, é a Lady Gaga.

Se ela passa num doce balanço a caminho do mar, é bossa nova.

Se a sua alegria atravessou o mar, é outra coisa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário